aajogo -A deputada estadual Bruna Rodrigues (PCdoB) tornou-se na última quarta-feira (2) a primeira deputada

Bruna Rodrigues- Primaajogo -eira deputada negra na história do Brasil

A deputada estadual Bruna Rodrigues (PCdoB) tornou-se na última quarta-feira (2) a primeira deputada negra na história do Parlamento gaúcho a presidir uma sessão plenária da Assembleia Legislativa,aajogo - em seus quase 200 anos de existência. O evento aconteceu no Grande Expediente da sessão plenária no Memorial do Legislativo. Na ocasião, a parlamentar abordou o tema Agosto Lilás - Defender a vida e os direitos das mulheres.

Continua após a publicidade

:: Bruna Rodrigues é a primeira mulher negra a ocupar um Grande Expediente da ALRS ::

“Pode parecer algo pequeno, mas não é: nunca na história da Assembleia uma mulher negra presidiu os trabalhos, pois nós nunca estivemos neste lugar. É a primeira legislatura que conta com a nossa presença. E estar ali, compondo este espaço, num lugar tão simbólico que é o Memorial, que conta também com a memória da Assembleia, num mês também significativo como é o Agosto Lilás, que conta com a luta e a história das diversas mulheres no combate à violência”, afirmou Bruna.

Ela destaca que é nos pequenos gestos que vão demonstrando as mudanças à população. “Ainda não mudou tanto porque a correlação de forças ainda não mudou no Parlamento, mas pode mudar. É um sinal, pequeno, mas muito simbólico”, comentou a deputada.

Durante seu pronunciamento, a parlamentar expôs os dados sobre a violência, destacando números em relação às pessoas negras. Conforme apontou, 58% das mulheres desempregadas são negras, 77% das vítimas de homicídios no Brasil também são negras. Além disso, 66,3% das pessoas presas no país são negras. Entre os números mencionados, relatou que 61% das mulheres que estão na economia solidária são negras, bem como que a maioria são chefes de família.

:: Cortejo Popular da Bancada Negra marca a posse dos novos deputados estaduais do RS ::

Bruna também frisou sobre os 17 anos da Lei Maria da Penha e refletiu sobre os desafios da sociedade. Para ela, o país possui legislação capaz de superar a violência, mas no cotidiano verifica que sua efetividade ainda não é plena. “Há muito ainda a ser feito para que a igualdade seja efetiva, em relação a racismo, machismo e outras formas de violência. A violência doméstica precisa ser uma causa de todas as mulheres, de todos os parlamentares e da sociedade de forma ampla, pois deve ser “uma luta que não tem partido”, afirmou.


Durante seu pronunciamento, a parlamentar expôs os dados sobre a violência, destacando números em relação às pessoas negras / Foto: Paulo Garcia | ALRS

Bruna se referiu à violência física e psicológica contra as mulheres, ao racismo e às diferenças salariais que aprofundam o cenário que aponta para a necessidade de se avançar na luta. Lembrou que o Rio Grande do Sul é o quarto estado do Brasil que mais mata mulheres.

:: Educação machista, estereótipos culturais e raiva estão na base da violência contra a mulher ::

Também se manifestaram as deputadas Adriana Lara (PL) e Sofia Cavedon (PT). O deputado Airton Lima (Podemos) se somou aos pronunciamentos em nome da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa. Participaram a presidenta do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher, Fabiane Dutra Oliveira, a representante do Mandato Coletivo União da Juventude Socialista, Fabíola Loguercio, a representante do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, Eugênia Steyer e a representante da deputada federal Maria do Rosário, Márcia Falcão.

Ouça a íntegra do discurso da deputada Bruna Rodrigues no Grande Expediente desta quarta-feira.

Com informações da Assessoria de Imprensa da Deputada Bruna Rodrigues e da Agência de Notícias da Assembleia Legislativa.


Fonte: BdF Rio Grande do Sul

Edição: Katia Marko


Relacionadas

  • Educação machista, estereótipos culturais e raiva estão na base da violência contra a mulher

  • Bruna Rodrigues é a primeira mulher negra a ocupar um Grande Expediente da ALRS

  • Cortejo Popular da Bancada Negra marca a posse dos novos deputados estaduais do RS

Outras notícias

  • No carnaval, mães de vítimas de violência do Estado encontram um espaço para legitimar sua luta

  • Pela primeira vez em mais de 80 anos, um sindicato de metalúrgicos do RS terá presidente mulher

  • No Rio de Janeiro, jovens empreendem no ramo da moda e valorizam a identidade periférica

BdF
  • Quem Somos

  • Parceiros

  • Publicidade

  • Contato

  • Newsletters

  • Política de Privacidade

Redes sociais:


Todo o conteúdo de produção exclusiva e de autoria editorial do Brasil de Fato pode ser reproduzido, desde que não seja alterado e que se dê os devidos créditos.

Visitantes, por favor deixem um comentário::

© 2024.cc777sitemap